Jaqueline Meirelles

Bem-vinda(o)

Jacqueline Meirelles

 

Jacqueline Meirelles


 

Apresentação

 

 

Sou designer de bijuterias, empresária e filantropa. Nasci em Cuiabá, estado do Mato Grosso, em 15 de abril de 1963. Fui a primeira representante do Distrito Federal a conquistar a coroa de Miss Brasil, no concurso realizado em São Paulo, em 4 de abril de 1987. Na ocasião, superei 26 participantes e concorri ao Miss Universo, realizado pouco depois em Cingapura. Embora não tenha sido classificada entre as finalistas, conquistei o prêmio de melhor traje típico. Em 1988 troquei Brasília  por São Paulo com o desafio de seguir uma carreira de “top model”, onde me casei e tive 3 maravilhosos filhos. Há anos iniciei um trabalho com bijuterias, que logo floresceu. Com a prosperidade do negócio surgiu o atelier e, recentemente, este “website” que tornou-se a vitrine das minhas obras.

 

Minha Vida Antes do Concurso

 

 

Sou a primeira de três filhos de um advogado cearense e de uma empresária mineira. Nasci em Cuiabá, mas ao sete meses de idade me mudei para Brasília, tendo permanecido lá até transferir o título para a Miss Brasil 1988. Trabalhei por alguns anos no setor financeiro brasiliense ao mesmo tempo em que busquei desenvolver minha carreira de modelo e manequim, cujo sucesso seria iminente. Ainda tinha a ambição de me preparar para o vestibular e seguir a carreira de arquiteta, mas a sucessão de inesperados acontecimentos alterou decisivamente meu futuro.

 

O Caminho para o Miss Brasil

 

Por influência de uma grande amiga me inscrevi no concurso de Miss Distrito Federal. O concurso foi realizado em março de 1987, na animada boate Zoom (antigo Cine Espacial). Superei as 15 candidatas e este primeiro título assegurou minha participação no subseqüente concurso de Miss Brasil, marcado para 4 de abril, no Palácio das Convenções do Anhembi, em São Paulo. O concurso foi o último a ser apresentado por Silvio Santos e organizado pelo Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).


 

Sob a Coroa

 

Em seguida a minha coroação, enquanto me preparava para representar o Brasil na 36ª edição do concurso de Miss Universo, que seria realizado no dia 26 de maio seguinte, em Cingapura, fui convidada a integrar o primeiro elenco do programa humorístico “A Praça é Nossa”, criado por Carlos Alberto de Nóbrega. Nessa mesma época, também participei de programas do SBT, como o de Hebe Camargo, que havia sido jurada do concurso que me elegeu. Durante o período de preparação para o Miss Universo, já em Cingapura, que durou 4 semanas, houve uma descontraída e animada convivência com candidatas de todo o mundo. Procurei ao máximo fortalecer minha candidatura e aproveitar a experiência de estar num ambiente desafiador e competitivo. A vencedora do Miss Universo 1987 foi Cecília Bolocco, Miss Chile, que posteriormente tornou-se apresentadora da rede de noticias norte-americana CNN. Não fiquei classificada entre as 10 semifinalistas, mas procurei conquistar o público de Cingapura com simpatia e exibindo um belo vestido nomeado “A Taça do Mundo é Nossa”, que levava as cores nacionais e trouxe o título de melhor traje típico do Miss Universo. No ano seguinte participei de muitos eventos sociais, viagens e trabalhos no mundo da moda. Conheci o Brasil percorrendo longas extensões que iam do Chuí ao Oiapoque e cheguei a levar o cetro e a coroa para o outro lado da fronteira. Foram muitas horas de voo, estradas de asfalto e de terra, por vezes combinadas com poucas horas de descanso. Tudo isso valeu muito a pena tanto pela maravilhosa experiência, como, principalmente, pelo intenso carinho com que os brasileiros me receberam nos quatro cantos do país: de braços abertos.


 

Carreira Artística

 

Com o título, me tornei uma das mulheres mais fotografadas da segunda metade da década de 80, atrás apenas de modelos iniciantes como a hoje atriz Ana Paula Arósio, que na época tinha apenas 13 anos. Fiz campanhas publicitárias, apresentei programas de TV e fui jurada de programas como o “Viva a Noite” e o “Cidade Contra Cidade”, ambos conduzidos por Augusto Liberato. Tive breve participação no mundo da música e a convite da banda Grafite, gravei um disco e fiz shows no Rio de Janeiro, São Paulo e outras cidades.

 

Atuação na Televisão

 

Um dos meus principais e mais gratificantes trabalhos na televisão foi o “Mulher 88”, um programa de variedades diário na extinta Rede Manchete, no qual fui co-apresentadora ao lado de Astrid Fontenelle. Também participei de programas do SBT, como “A Praça é Nossa”, apresentei a sessão “Cinema em Casa” e fui jurada do concurso Miss Brasil 1989. Na TV Gazeta, participei do programa “Mulheres”. Em 1995, fui apresentadora do programa “Vivendo com Classe”, no qual apresentava automóveis sofisticados numa época em que carros importados eram raros no Brasil. Em 2011 voltei a participar das gravações de “A Praça é Nossa”, junto ao Carlos Alberto de Nóbrega e seu elenco, com muita alegria.

 

Trabalhos como Modelo

 

Comecei como modelo profissional em São Paulo, na extinta agência Jet Set, e desde 1991 mantenho contrato de exclusividade com a agência L'Equipe. Por meio da L’Equipe fui convidada a fotografar capas de revistas de alcance nacional como a Nova, Claudia, Minha, Manchete e Mãe, além de capas de revistas de moda européias. Gravei vinhetas para telenovelas e participei de campanhas publicitárias também de âmbito nacional, elaboradas para importantes empresas como o Bradesco, SunBlock, Banco Nacional, Ponto Frio, Itaú, IBM, Natura, Avon, Hotel Sofitel, Gelol, Brastemp, Shopping Jardim Sul, Banco do Brasil, Rexona e Palmolive.

 

Filantropia

 

Uma das minhas principais sensações de realização está relacionada ao meu trabalho com pessoas portadoras de necessidades especiais. Muitas delas têm significativa capacidade para desenvolver atividades laborais, e tenho grande prazer em ensiná-las a montar bijuterias. A cada dia colho o fruto de um trabalho árduo e prazeroso, que um dia foi uma sementinha.

 

O Atelier de Bijuterias

 

Bijuterias sempre foram uma paixão, embora minha incursão no mundo das bijuterias tenha ocorrido recentemente. Uma mulher é elegante quando tem personalidade e estilo próprio e a bijuteria faz parte desta equação. Os acessórios que desenho e produzo são variados e sofisticados, buscando valorizar a mulher contemporânea e reforçando sua personalidade em diversas situações e momentos da sua vida.